Dez coisas aleatórias de uma segunda-feira

1. Voltar de qualquer lugar pra Juiz de Fora me dá uma depressão danada.

2. Passei o final de semana no RJ, em Santa Teresa, mais precisamente, e que bairro MARAVILHOSO! Nunca mais fico hospedada em outro lugar.

3. Se eu fosse rica, minha casa seria cheia de tranqueiras velhas. Não posso com feira de antiguidades, gente, sério.

4. E também não posso ver livros. Quero todos.

5. O mais interessante é que, na verdade, tenho que ler vários livros pra dissertação, mas os que eu quero ler mesmo são outros. Outros até que eu nem comprei ainda, hahaha! Socorro!

6. Deveria estar fazendo várias coisas importantes, como editar vídeos pro trabalho, mas não consigo começar. Alguém se identifica?

7. Tenho que fazer um vídeo pra disciplina de Cinema, Filosofia e Educação que é AMANHÃ, mas não faço ideia do que gravar.

8. Por algum motivo obscuro não estou conseguindo fazer os cartazes de segunda nas segundas.

9. Vou fazer minha primeira tatuagem no mês que vem! Yay!

10. Fomos ver a exposição do Salvador Dalí no CCBB e é simplesmente incrível! Se você mora no Rio ou vai passar por lá até setembro, não deixe de ir! Essa aqui embaixo é a Dalí Atomicus, uma das minhas fotos favoritas com o Dalí. Quem tirou foi o Philippe Halsman.

E vocês, gente? Também tem esse problema com cumprir obrigações, mesmo as que são legais, haha? Também são viciados em feiras e em livros? Abram o coração!  :*

 photo DaliAtomicus2_zpsd50760c9.jpg

 

Alice no País das Maravilhas (mais) surreal

Alice no País das Maravilhas é, para mim, um dos melhores livros de todos os tempos. Ele é tão cheio de camadas e escrito de forma tão fantasiosa que pode ser lido por pessoas de qualquer idade e em qualquer tempo. Inclusive, faz bem a gente reler. Vamos sempre descobrir coisas novas.

1

Eu nem gosto de Lewis Carroll, né? Esse nem é o foco do post, mas vou deixar como dica pra vocês esses três livros. O primeiro é o Alice no País das Maravilhas e Através do Espelho – Edição comentada, de 2002 . Se você é fã não pode deixar de ler essa edição! Ela vem com os desenhos originais  de John Tenniel e notas de Martin Gardner. Ele é um dos maiores especialistas em Lewis Carroll e os comentários no livro são riquíssimo. Ele explica alguns trocadilhos, conta histórias e curiosidades sobre o livro.

2

O segundo é a biografia de Lewis Carroll escrita por Morton N. Cohen. O livro é de 1995 e trás curiosidades e contradições sobre a vida do autor, indo MUITO além dos comentários sobre Carroll que a gente lê por aí. Ele foi um homem brilhante e misterioso!

A melhor coisa de todas foi que eu achei essa biografia por 11 reais em um supermercado da cidade, haha! Sim, 11 reais.

4

A terceira indicação é The Complete Illustrated Lewis Carroll, que, com muito pesar, confesso que ainda não li ;x Ele é todo em inglês e estava enfiado em um canto na Saraiva. Acho que custou 21 reais. Já dei uma lida em algumas partes, mas preciso de tempo para me dedicar a ele.

3

Maaas, o que eu realmente queria mostrar nesse post é o encontro do nonsense e psicodelia magistralmente descritos por Carroll com a criatividade de Salvador Dalí. Sim, em 1969 foi publicada pela New York’s Maecenas Press uma edição de Alice no País das Maravilhas ilustrada por Dalí. Cada capítulo ganhou um desenho. Eu acho que não pode haver melhor combinação, haha! Dá pra viajar demais nos desenhos.

Capa do livro

Capa do livro

salvador-dali-alice-no-pais-das-maravilhas-02

Capítulo “Para baixo na toca do coelho”

salvador-dali-alice-no-pais-das-maravilhas-06

Capítulo “Conselhos de uma lagarta”

Capítulo “O jogo de críquete no campo da rainha”

Capítulo “O jogo de críquete no campo da rainha”

Capítulo “Quem roubou as tortas”

Capítulo “Quem roubou as tortas”

Separei algumas das que eu mais curti pra mostras, mas depois vocês joguem no google, que todas estão disponíveis. As ilustrações do livro estão em exposição permanente na galeria William Bennet em Nova York.

Au revoir!