Em cartaz #35: John and Mary

 photo john_and_mary_xlg_zpstnzuz6x4.jpg

 photo tumblr_mjpl5xczne1qfhodmo1_1280_zpsaahmix7p.jpg

John and Mary se conhecem em um bar. Os dois engatam numa conversa interessante e Mary acaba indo para a casa de John. Na manhã seguinte, Mary acorda no apartamento daquele cara que ela nem sabe o nome e começa a andar pela casa tentando descobrir um pouco da vida do sujeito. John, depois que acorda, faz o mesmo movimento. Observando Mary, seu jeito, seus pensamentos, tenta entender com quem ele está sentado tomando café.

O filme é construído basicamente, e literalmente, sobre os pensamentos de John e Mary sobre o outro. Eles pouco conversam, o que mais ouvimos são seus pensamentos. Eles presumem coisas, tentam adivinhar, constroem futuros e o destroem logo em seguida, se julgam e brigam um com o outro dentro da cabeça sem nem ao menos se conhecerem.

Julgar as pessoas pela aparência, através de nossos próprios preconceitos, é tão feio, porém tão normal de acontecer, né gente? Quando a gente menos espera, podemos estar jogando fora uma coisa legal por causa desses comportamentos. Eu gostei do filme por causa disso, é bem simples e meio que coloca uma lupa nesse problema específico da desconfiança quando não conhecemos alguém.

 

 photo fe5b4b63d20016f7c10d19204c6fb96f_zpsqgq1tg3n.jpg

John e Mary é uma adaptação do livro homônimo escrito por Mervyn Jones, foi dirigido por Peter Yates e lançado em 1969. Apesar de ser ter Mia Farrow e Dustin Hoffman nos papeis principais, dois atores bem queridinhos naquela época – Mia havia acabado de fazer O Bebê de Rosemary – o filme parece não ter tido muita repercussão.

Nem encontrei muitos cartazes, como vocês podem ver. Esta segunda versão foi feita pela artista Miyuki Okashi, e achei bem mais interessante do que o poster oficial. Acho que é a primeira vez que encontro um cartaz feito – ou com o efeito – de aquarela.

Bom, pessoalmente, acho um filme bem realizado e, inclusive, um prato cheio pra quem gosta da moda e design dos anos 60/70. John era um amante do design e seu apartamento parece todo modernoso pra época, o que chama a atenção de Mary também. Eu não sei nada de arquitetura, gente, mas parece super chique. E Mia Farrow, toda bonita com esse pixie cut e vestido de gola peter pan, dispensa comentários!

 photo jm_zpso0m6w56s.jpg

No ano passado, na semana do dia dos namorados, fiz um post com uma lista de filmes anti-dia dos namorados. Pra não repetir a negatividade, resolvi trazer esse porque é, de certa forma, esperançoso e nos faz pensar na forma como agimos nesse processo de conhecer alguém novo. Acho que não deve ser um filme difícil de encontrar, mas ele está completo no youtube!

Agora, momento desabafo, quase não tenho assistido filmes, gente, socorro! O que vocês tem visto de bom? Me contem aí!

o/

Marcadores de livro #1 + Filme para o fim de semana

Já faz um tempo que estava querendo postar uma dica de marcador de livro. Como ganhei/comprei alguns nos últimos tempos, resolvi juntar tudo!

5

Colecionadores são sempre felizes quando ganham algo pra sua coleção, hoho! Eu ganhei dois marcadores nas últimas semanas. Esse de corujinha muito fofo que ganhei da Lara, que participa de um grupo de pesquisa na faculdade junto comigo. E o outro de bonequinhas matrioshkas minha mãe faz pra mim *.*

(Minha mãe faz artesanatos com tecido, se vocês quiserem ver as coisas lindinhas que ela faz é só acessar a página dela no facebook! Fiz propaganda de graça, hein mãe! hahaha)

2

4

Estes dois outros eu comprei da Um Verso – Marcadores de página personalizados. Eles são um pessoal aqui de Juiz de Fora conhecidos meus que fazem marcadores artesanais! Na página deles vocês podem conferir alguns modelos prontos – como os que eu comprei -, mas você também pode mandar a sua ideia pra eles fazerem! (Anna, fiz propaganda de graça também, hahaha!) Eles não são caros e são muito bem feitos. Eu tenho um outro deles que ganhei de presente, mas esqueci de tirar foto.

3

Essas são as novidades pra minha coleção, que – olha o absurdo – não sei quantos marcadores tem agora!

Pro post não ficar muito longo, vou passar logo pra minha dica. Eu não sou dessas pessoas que acredita em inspiração, que um belo dia você vai estar olhando a grama do vizinho crescer (saudades, the sims! hahaha) e então uma ideia brilhante vai surgir na sua cabeça. Mas, digamos, que eu não saiba bem de onde tirei a minha, haha.

Eu e minha irmã temos uma big pilha de albuns de fotografia da nossa infância. Junto com eles, minha mãe guarda quase todos os negativos. É uma ótima ideia e uma maneira de conservar e de poder replicar as fotografias se desejado ou necessário. Mas acaba que tem muitos… E tem certas fotos, tipo de festa junina, festinha da escola, apresentação de dança que tem 3984738974 fotografias iguais, hahaha! Pensando nisso, tive a ideia de pegar estes negativos e usá-los como marcadores de livro!

1

6

7

Eu peguei exatamente duas tirinhas que já estavam cortadas nesse tamanho. Como vocês podem ver são fotografias de alguma festinha na escola e duvido muito que minha mãe vai querer revelá-las de novo. Negativo é uma coisa muito charmosa, né? E dá um efeito bem legal nas páginas do livro.

8

9

É uma dica simples, você não gasta nada pra fazer, quase que nem o tempo! hahaha Modéstia a parte, gostei muito da minha ideia e espero que tenham gostado também. (:

Como o fim de semana chegou e o frio tá de matar, vou deixar uma outra dica de filme pra quem pretende ficar embaixo dos cobertores! Assisti na terça o filme A Menina do Outro Lado da Rua, de 1976 e dirigido por Nicolas Gessner. Apesar da sinopse ter me chamado atenção, confesso que quis assistir o filme mais porque a protagonista é a Jodie Foster aos 14 anos. Ela já era uma estrelinha, né?

Confesso que só não gostei muito da trilha, achei meio brega. Mas é uma ótimo suspense pra uma tarde fria! Aqui vai o trailer:

Boa sexta pra todos!

Au revoir!