One lovely blog award

Então, sou muito desorganizada e preguiçosa para tags. Sempre deixo anotado quando me marcam em alguma e aí acabo esquecendo.

Masss, dessa vez a pressão foi enorme! A Thamires (Lunettes), a Raquel (Maionese) e a Brunna (Dobro da Metade), me indicaram e resolvi responder. A tag é bem interessante, já que pergunta sobre o blog e tal. Eu gostei de ler as respostas das outras pessoas porque acabamos conhecendo mais sobre quem escreve os blogs que a gente gosta, né? Mas sou chata, viu, sempre implico com as perguntas, haha! Enfim, vamos lá!

#1 Por que decidiu criar um blog e quando começou?

Bom, eu fiz um post basicamente falando sobre isso no dia do meu aniversário e convido vocês a lê-lo para terem uma noção mais completa da minha história.

Mas resolvi fazer um blog meio do nada em junho do ano passado. Sempre gostei muito de escrever – mais para mim do que para os outros – e por muito tempo fiquei pensando em ter um blog. E aí um dia fui lá e fiz e estou amando até hoje! Na verdade, nunca tive muita ideia do que ele seria. Eu tinha vontade de escrever sobre os filmes que eu assistia, sobre as coisas que eu gostava, enfim, dar vazão as minhas ideias e vontades de falar sobre o que eu via por aí. Um movimento bem egocêntrico mesmo, mas que tem me levado a lugares muito bons!

#2 Quais benefícios o blog te traz?

É estranho pensar em termos de benefício, não gostei dessa palavra, haha, mas enfim… Em primeiro lugar, tenho treinado bastante minha escrita, o que é ótimo. Meu processo de escrita é MUITO lento, minha dissertação que o diga, e com o blog tenho conseguido desembolar meus pensamentos mais facilmente.

Depois que entrei pra blogosfera, como dizem, também passei a olhar de outra forma para a internet. Confesso que me assustei com o mercadão que isso tudo se transformou e com esse fenômeno de youtubers que não para de crescer… enfim, acho que fiquei mais crítica e passei a selecionar melhor o que eu leio. Com a porcaria de coisas que encontramos por aí, acho que isso foi uma coisa boa que aconteceu comigo.

Mas, claro, o contrário também existe e o melhor de tudo foi ter conhecido pessoas tão queridas e blogs tão legais! A Thamires, por exemplo, do Lunettes, já virou amiga de whatsapp, a gente conta caso, fala da vida, desabafa hahaha Essa é a melhor parte, sem dúvidas!

#3 Qual é o post mais acessado?

Top 1 das galáxias: Dicas pra quem tem cabelo curto: lenços!

#4 Você usa as redes sociais?

Sim! Atualmente tenho usado mais o twitter e o instagram. As outras redes sociais estão no início dessa coluna aqui do lado.

#5 Como o blog tem evoluído?

Não gosto da ideia de evolução. Não sei onde o blog vai chegar, se ele tem que chegar em algum lugar e não fico criando nenhuma expectativa.

Gosto do que ele é hoje. No começo eu escrevia mais sobre filmes, músicas e assuntos aleatórios. Hoje o blog é sobre cinema, cartazes de filmes, marcadores de livros e chás, junto com outras coisas aleatórias que vão aparecendo.

Também estou numa fase ótima em que tenho leitores fiéis, hahaha, então a gente acaba desenvolvendo uma relação legal. A gente conversa, troca dicas… isso é muito bom!

#6 Já viveu algum fato importante por causa do blog?

Sim! A nível pessoal eu-comigo-mesma, como já contei, tenho treinado bastante minha escrita. Acredito que eu tenha melhorado minha capacidade de analisar filmes também e isso é muito importante pra minha vida acadêmica.

E, como também já comentei, conheci pessoas super super super legais que espero não perder o contato!

#7 De onde nasce a inspiração para escrever e continuar com o blog?

 Da minha vida mesmo, das minhas pequenas grandes paixões. Das coisas que eu gosto, das coisas que eu não gosto. Das minhas descobertas e das redescobertas.

#8 O que você tem aprendido a nível pessoal e profissional esse ano?

Tenho aprendido que a gente vive num mundo louco, que as pessoas estão ensandecidas e com pressa o tempo inteiro. Todo mundo quer chegar primeiro que você, quer saber mais que você, quer ganhar mais que você. Parecem cavalos usando antolhos, não olham pro lado, nem pra trás. Tá dureza.

#9 Qual é sua frase favorita?

Gente, desculpa, mas esse negócio de frase é muito aquele quadro de entrevistas que tinha no Planeta Xuxa, lembram, haha? Mas enfim, não tenho frases de vida… não que eu me lembre.

Mas eu tenho mais mania de colecionar frases de livros, de filmes e tal, só porque achei bonitas ou tiveram algum significado no momento. Uma que me marcou recentemente foi “Da primavera, o amanhecer”, que é a primeira frase do primeiro capítulo de O Livro do Travesseiro, que estou lendo. Adoro a primavera e as manhãs estão especialmente bonitas e tem me feito muito bem esses dias.

#10 Qual conselho você daria para quem está começando agora no mundo do blogs?

Vai lá, faz e pronto. Se der certo, deu, se você gostar, ótimo, se outras pessoas gostarem também, super legal e se der errado, tudo bem! Beijos e vida que segue. Agora, se você quer se você quer ter blog pra ficar ryka e virar it girl, não tenho nada pra falar, sorry.

#11 O que os blogs que você vai indicar tem em comum?

São escritos por pessoas legais, com boas ideias e boas intenções! <3

A regra é indicar outros 11 blogs e avisá-los da indicação. Mas muita gente que eu conheço já respondeu e na verdade não tenho certeza se alguns desses também já fizeram a tag. Acho que ainda não. Mas vamos lá, os indicados são:

Eu suspiro

Crítica Retrô

Diários de um piquenique

Blog da Talita

Como livros, bebo séries

Garotas Rosa Choque

Pedrinha

Mulher Vitrola

Realidades Utópicas

Expresso pra dois

 

Sobre fazer aniversário e ter um blog

eu pequenaHoje vou sair da programação normal do blog porque… é meu aniversário! Yupi!

Eu já estava planejando fazer esse post há algum tempo e sinto que essa é a data certa. Percebo que muitas pessoas lidam com o aniversário pensando no futuro. Agora estão mais velhas, é mais um ano de vida, estão chegando perto dos 30 ou 40 ou qualquer idade que está por vir… Eu gosto do aniversário mas para pensar pra trás, para olhar o que aconteceu nos últimos tempos.

Há um atrás o blog tinha 2 meses e muita coisa mudou desde o início, tanto em mim quanto nele. O aniversário é meu, mas gostaria de falar sobre o blog, que fez parte da minha vida no último ano e que é uma das coisas que mais me deixam felizes hoje.

Sobre a liberdade de espaço, de tempo e de ideias

Eu sempre gostei de ler e isso me levou a gostar de escrever. Desde muito nova, aos 10 anos, eu já inventava minhas histórias e saía escrevendo tudo. Queria muito ser escritora e cheguei a escrever 13 capítulos de uma história! Tenho meus caderninhos caindo aos pedaços, muitos arquivos no computador e até um disquete que não funciona mais, todos eles guardados com esse pedaço da minha vida.

E daí que quando entrei pra faculdade – de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo – toda essa minha vontade de escrever simplesmente morreu. Escrever pra mim se tornou um martírio, uma coisa mecânica, um fórmula que eu deveria seguir. Não era mais prazer, era obrigação. Não tenho certeza, gente, teria que fazer análise pra descobrir o que aconteceu, haha, mas foi nessa ordem! Enfim, foi por causa disso que eu encontrei o cinema e me apaixonei tanto. Ele meio que preencheu um buraco que a faculdade tinha feito em mim. Não vou mentir, escrever academicamente falando ainda é um saco. E fui me meter em fazer um mestrado, então está sendo uma época bem difícil…

Agora, eu estou revivendo esse prazer de escrever com o blog. Aqui eu escrevo no meu tempo, do meu jeito, do tamanho que eu quero, com as palavras que eu quero. Eu escolho a frequência, os temas, as fotos, os vídeos. É meu espacinho, construído por mim. E isso não tem a ver com um discurso do tipo “só quero fazer o que eu quero, o que me dá prazer, não quero fazer nada por obrigação”. Não é isso.

É apenas um revival do sentimento que eu tinha aos 10 anos. De ter uma ideia, de ter vontade de escrever e simplesmente ir lá e fazer. Sem ninguém estar esperando algo de mim, sem eu ter que estar fazendo pra alguém. É somente eu comigo mesma e minhas ideias. E tem sido ótimo sentir isso de novo.

Sobre pessoas e conteúdos legais

Funny story (saudades, Barney), eu não lia muito blogs antes de ter um. Quando acessava era mais por causa de algum post compartilhado ou alguma pesquisa que me levou até ali, mas nunca fiz parte da “blogosfera” como leitora. A partir do dia que criei o meu blog, isso tudo mudou. Fiquei mais curiosa pra conhecer outros blogs, encontrar pessoas que escreviam sobre o que eu gostava também, enfim, quem tem um blog sabe como é essa relação, é meio que um círculo vicioso.

Mas também descobri com um susto que a blogosfera se tornou um grande mercadão, uma vitrine, propaganda bem menos custosa pras pequenas e grandes empresas. E isso, em alguns blogs, afeta diretamente o conteúdo. Aliás, quase não há conteúdo próprio nesse caso, apenas propaganda seguida de propaganda.

Então, fugi disso e saí por aí procurando gente com personalidade, que criava seu próprio conteúdo, que trazia ideias novas, boas informações e boas inspirações. E claro que foi bem fácil de encontrar! A listinha aqui do lado chamada “Eu acompanho” são bons exemplos disso.

Fiquei muito feliz de encontrar essas pessoas e esses blogs tão interessantes. Ao mesmo tempo fiquei muito surpresa com a receptividade com o meu blog. Afinal, falo de cinema, cartazes de filmes, um pouquinho sobre cabelo… não sou do mundo da moda, das make-ups, coisa que a gente sabe que é o que chama atenção. Como acabei de comentar, só escrevo aqui sobre o que me dá ganas, não tenho nenhuma pretensão de ser famosa.

E é muito bom saber que existem pessoas que realmente leem o que você escreve, que as vezes fazem comentários gigantescos e muito gostosos de ler, haha! Em alguns casos, essa relação ultrapassou o blog e acho que isso é o mais legal pra mim (meninas, eu vou ao Rio só pra conhecer vocês, juro!). <3

Sobre fazer vídeos para o blog

Não vou mentir, isso de começar a fazer vídeos é altamente influenciado por esse boom do youtube recentemente.

Tem certos assuntos que eu realmente preferia falar ou mostrar em vídeo e acho que com esse monte de vlogs por aí, a gente se sente mais corajoso pra fazer os nossos próprios. Eu trabalho com produção de vídeo, então tenho todo o equipamento necessário. Também sou bem acostumada com as câmeras, não tenho muitos problemas com isso, então, por que não?

De certa forma, também acho que é bom dar uma cara e uma voz pro blog. Não sei vocês, mas eu fico curiosa pra ver quem são as pessoas que escrevem. Acho que começar a fazer vídeos também tem a ver com isso, sabe, dizer “oi, gente, essa sou eu!”, haha. É bobo, mas verdade.

Mas não quero fazer só vídeos de mim, sentada, falando. Quero usar o espaço do youtube pra começar a postar coisas que eu crio, exercícios, aleatoriedades, colocar ideias em prática… Eu tenho muitos planos pra isso, mas infelizmente estou num momento conturbado da vida. Enfim, ainda tenho tempo!

 ***

Então, essas são as coisas que mais tenho pensado recentemente. Não sei se o blog tem o mesmo peso pra todos, acredito que não. Pra mim significa alguma coisa. Significa que nunca é tarde pra gente começar algo novo, pra reviver sentimentos, pra descobrir coisas novas na gente e nos outros.

Sendo assim, queria compartilhar esse dia que consideramos especial com vocês, que tem feito do último ano um ano muito bom pra mim. O blog ainda é bem pequenino, mas tem crescido bastante recentemente e isso me deixa bem feliz. Ele tem superado todas as minhas expectativas!

Obrigada por cada comentário, por cada conversa, por cada visita. Vocês não são um número pra mim, são parte do que blog é hoje!

<3

Sobre o nascimento de um curta-metragem

Hoje era dia de cartaz de filme, mas resolvi começar a semana compartilhando com vocês algo muito especial!

Finalmente, eu e aquele grupo de amigos que sempre comento por aqui começamos as gravações do nosso filme! “Marx Pode Sair ainda não é um curta, nem um média, nem um longa. Por enquanto ele é um documento de texto que fala em umas 13 cenas da relação de três jovens que são confrontados com o fato de ter que esconder Marx em seu apartamento. O roteiro incompleto, antes de ser um problema, é uma oportunidade para que a gente sinta o clima do filme e para que os atores se envolvam na criação”.

Não vou falar muito mais sobre o filme aqui. Convidamos a todos vocês pra acompanharem a gente nessa aventura pelo blog O quarto do Marx, onde vamos postar fotos, teasers, making of, referências e tudo mais que circunda o processo de produção desse curta.

Depois de quase três anos, estudando cinema juntos, vendo filmes, fazendo festas, morando juntos, viajando juntos, esse curta está sendo não só o resultado de muito esforço, dedicação e estudo, mas também o resultado de nossa amizade, da vontade de construirmos algo que tenha a mão de todos nós.

O filme é um experimento e uma experiência. Ele está em aberto. Sabemos onde queremos ir, mas não sabemos ainda onde vamos chegar. Desde já agradeço aos atores maravilhosos que embarcaram com a gente nessa loucura!

E sejam vocês muito bem vindos também!

_MG_4639

_MG_4619

_MG_4700

IMG_4733

Uma cadeira, por favor!

Para começar, eu me sinto na obrigação de explicar o nome do blog. Na verdade, esse era o nome de um outro blog que eu tinha junto com Dudu (meu namorado) para mostrar o processo de produção e o making of de um curta que fizemos em 2010.

A inspiração para o nome veio daqui:

“A aula inaugural de Nélson Pereira dos Santos na UFF começava com a seguinte pergunta: “Qual a primeira ordem que o diretor dá ao chegar ao set?”. Depois de ouvir as primeiras respostas, ele ensinava: “Câmera aqui, lente tal, travelling daqui pra lá, o.k., rodando. Vocês sabem para que serve esse plano? Para nada, só para mostrar quem manda aqui”. O outro ensinamento que Nélson dava aos alunos da UFF é universal: “Qual é a primeira coisa que se faz quando se chega a um set de filmagem?”. Resposta: “Procura-se uma cadeira para sentar. Tudo demora muito”. Com o tempo descobri que essa história também era influência da França. Quando tentei contá-la num set francês, o ator, um velho gordo e antipático chamado Victor Lanoux, esperou até que eu chegasse ao fecho para me interromper com desdém: ‘Une chaaaaise’.”

E o Nelson Pereira estava certíssimo…

Como o outro blog meio que está morto, resolvi resgatar o nome porque ele tem a ver não só com o set de filmagem, mas com tudo nessa vida. Vai dizer que o que a gente mais faz não é esperar?

Para quem se interessar, essa citação é do livro “50 Anos Luz, Câmera e Ação” do Edgar Moura e você pode lê-lo aqui. É um livro excelente para quem quer estudar iluminação.

(:

(não sei terminar posts ainda, haha!)

O primeiro de muitos

Escrever o início de  qualquer texto é a coisa mais difícil para mim. Fico procurando palavras para começar com a frase perfeita e isso nunca acontece. Sempre acabo reescrevendo mesmo, não sei porque insisto nisso. Então imagine quanto tempo eu fiquei olhando para a tela antes de escrever esse primeiro post.

Já tive outros blogs quando eu era mais nova, mas eu passava um tempão configurando a página e escolhendo layout e quando ficava pronto não tinha paciência de escrever, haha! Desde o ano passado que eu queria ter um blog de novo, mas não faço a menor ideia sobre o que vou escrever e também nem tenho a obrigação de escolher um assunto só, certo? E começo é aquela coisa, né? Não sabemos muito bem onde tudo vai dar.

Vamos ver se o blog devolve o gosto pela escrita que a faculdade arrancou de mim misteriosamente (:

Au revoir!