Tornado, o primeiro de todos

Já que eu e meus amigos andamos nessa vibe de curtas-metragens e festivais, e como eu disse que faria isso, resolvi mostrar pra vocês hoje o primeiro curta que participei.

Antes, deixa eu contar pra vocês a história toda. Eu entrei na faculdade com 17 anos porque gostava de escrever, nunca havia pensado no cinema como uma possibilidade. Eu e minha irmã sempre brincamos com câmeras desde novinhas, tenho mil filminhos nossos dançando, encenando e etc, mas filmes pra mim eram só passatempo. Acho que eu sequer tinha noção da existência de cursos de cinema.

E aí que no início da faculdade, eu e os amigos da época conhecemos o Dudu, que tinha uma câmera bem legal e já entendia desses paranauês. Um dia estávamos de bobeira na casa dele e simplesmente resolvemos fazer um filme. Do nada mesmo. Não faço a menor ideia da onde surgiu essa ideia do aspirador de pó assassino, mas pensamos tudo no mesmo dia e marcamos de gravar. E olha, apesar de ser super simples, deu trabalho! Muitos dedos foram cortados com fios de nylon pra fazer esse filme, hahaha!

Mas sem dúvidas foi uma das melhores experiências que tive. Foi tudo feito despretensiosamente, na diversão, pelo prazer de estar fazendo algo legal.

No final das contas, acabamos o inscrevendo no Primeiro Plano, aquele festival que acontece aqui na minha cidade, e foi uma das coisas mais loucas que já vivi. Primeiro, porque foi a primeira vez que participei do festival e, segundo, porque assistir o Tornado na tela gigante e notar a reação das pessoas, perceber que elas estavam rindo, reagindo a ele de verdade, foi uma coisa que me desestabilizou. Acho que nesse dia eu me apaixonei pelo cinema e decidi que era o que eu queria estudar.

Pra finalizar, nós acabamos ganhando o Prêmio José Sette no festival, que é mais uma brincadeira, um incentivo pra gente continuar fazendo. O prêmio consistia em cachaça, torresmo, pipoca e outras comidas de bares famosos aqui na cidade, haha. Vocês podem imaginar nossa felicidade, né?

Enfim, ele já tem mais ou menos 6 anos de idade, mas ainda tenho muito carinho por ele. Me lembra uma época boa!

Espero que curtam também! ;)