Coisas aleatórias numa tarde de terça-feira

Pois é, quem é vivo sempre aparece, não é mesmo? E aqui estou eu com aqueles drops de novidades pra compensar o tempo em que estive longe…

1. Sinto falta de escrever no blog, gente, juro. Às vezes a vida dá aquelas voltas e somos tomados por outras situações… Mas estou aqui com vários meios posts escritos e uma lista de outros que (espero) ainda virão.

2. E a super novidade que eu tenho pra contar pra vocês é que sou universitária de novo! Quem acompanha o que escrevo aqui, sabe que estou envolvida com cinema&educação faz bastante tempo, sou apaixonada por literatura infantil, eu trabalho pra faculdade de Educação da universidade… Então tomei a decisão de fazer o Enem no ano passado pra tentar Pedagogia. Não fui chamada no primeiro semestre e já tinha até desistido um pouco da ideia. Eis que fui chamada agora pro segundo semestre! Foi uma surpresa e tanto. Eu realmente tinha zero esperanças de entrar…

Enfim, sinto que ganhei uma segunda chance e agora com mais vontade e um pouco mais de certeza do que eu quero fazer do que quando tinha 17 anos…

3. Eu já tinha compartilhado com vocês algumas fotos de um filme que gravamos no início do ano. Ele já tá quase pronto! E acabamos de gravar outro no mês passado. Ou seja, em breve vou ter dois curtas pra mostrar pra vocês! Estamos super produtivos esse ano, ao que parece!

É isso tudo, gente. Deixo vocês com a indicação de um banda que descobri que recentemente! Acho que quem me conhece um pouco mais vai saber porque gostei tanto… espero que curtam também. Até a próxima!

Anúncios

Aquele texto sem título

Poucas pessoas devem saber, mas a piscina é um bom lugar pra chorar quando você não pode ficar sozinha e não quer que ninguém te veja fazendo isso.

Em primeiro lugar, você já está molhada, dentro da água. Impossível dizer a diferença entre uma lágrima escorrendo e as gotas da piscina espalhadas pelo corpo. Em segundo lugar, você está suada, vermelha e quente, então as manchas no seu rosto não vão ficar aparentes. E ainda tem a possibilidade de usar óculos escuros pra ajudar.

Além disso, todo mundo ao seu entorno está preocupado com as próprias coisas, bronzeado, suor, óculos escuros e diversão. Se você permanecer boiando de barriga pra cima, totalmente imóvel e em silêncio, aos pouco sua presença vai sendo deixada de lado.

Enquanto você chora sem ninguém perceber, pode aproveitar pra olhar as nuvens, o que pode te acalmar ou te fazer sentir menos mal. Sempre gostei de observar nuvens. Elas são totalmente mutáveis e ao mesmo tempo únicas em seus milésimos segundos de existência. Se transformam num piscar de olhos ou mais rápido do que isso. A menos que você tire uma foto, não é possível ver a mesma nuvem duas vezes. Um espetáculo que acontece todos os dias bem em cima da nossa cabeça e que muitas vezes passa despercebido. Como tantos outros na vida. Mas não acho que saberíamos lidar com muitos espetáculos para serem observados ao mesmo tempo. Já está de bom tamanho conseguir perceber pelo menos um.

Então, agora talvez mais calma, você pode mergulhar e lavar as gotinhas salgadas na água cheia de cloro, bem a tempo de ouvir alguém chamar seu nome. Passou, você sai da piscina tranquilamente. Nenhuma marca, nenhum barulho.

Sempre me pergunto se alguém percebe minhas lágrimas na piscina ou se elas se misturam e se integram facilmente ao resto da água. Espero que ninguém perceba. Esse é um espetáculo que ninguém precisa ver.

*

Pois é, quem já me conhece sabe que de tempos em tempos crio a famigerada coragem e posto algum texto que escrevi por aqui. Hoje acordei com essa vontade e aí está.

Pra não esquecer

É engraçado como às vezes a gente precisa do empurrão de alguém pra perceber certas coisas. Ou quem sabe um beliscão? A questão é que na maioria das vezes a pessoa nem percebe que causou esse efeito em você, mas causou e desencadeou um monte de outras coisas.

Aí você pergunta por que, Carol, você tá falando isso? Porque ontem o carteiro tocou aqui em casa, fui até lá e era um pacote da Isa (inclusive, visitem o blog dela!). Ela me mandou esses três livros da foto e disse que era pra gente nunca esquecer nossas paixões.

livrosdaisa

Depois disso, comecei a ler um dos livros e pensar no que ela falou e me lembrar desse post que escrevi no ano passado. E eu ando tão preguiçosa, sem concentração pra ler e pra escrever, desanimada até pra ver filme. Então falei O QUE? Eu sei que temos altos e baixos, mas a vida não vai andar sozinha, não é mesmo? Quer dizer, a vida até vai, a gente e as nossas coisas não vão. E pensei em todos os projetos do blog que estão de lado, todos os vídeos que adoro fazer, todos os estudos de filmes que estão pela metade. Eu tenho um trabalho novo que está começando e tenho todas essas coisas maravilhosas que amo fazer e tenho tempo pra tudo, mas tava sendo mais fácil deixar a lontra abraçar minhas costas e me afundar. É sempre mais fácil. E eis aqui meu pequeno desabafo. Acho que esse texto é mais pra mim do que pra qualquer outra pessoa, mas é sempre válido compartilhar essas coisas, né?

Sendo assim, Isa, obrigada demais pelo presente, ele foi o empurrão que eu precisava. Eu fiquei tão mas tão mas tão feliz! Ganhar presente, ganhar o presente certo e ainda da Isa! Até agora não sei como agradecer por ele e por essa amizade louca que aconteceu do nada. A única coisa ruim disso tudo é que você tá bem longe pra eu te dar um abraço, mas prometo que vou pra SP fazer isso e ainda levar meu bolo de côco.

Coisas aleatórias numa noite de quarta-feira

Esse post começa com um suspiro, gente. Porque não sei se é por causa do calor, por causa desse 2015 infinito, por causa da vida… só sei que ando meio desanimada pra escrever. É engraçado porque todo final de ano, talvez por conta desse clima de feriados chegando, sempre fiquei mais animada e mais disposta e cheia de ideias pro blog. Mas dessa vez não está rolando.

E aí, inspirada na Ingrid, resolvi retomar essa minha série de posts que se chama Coisas aletórias numa manhã de sábado, só pra poder, bem, falar aleatoriamente algumas coisas.

1. Tenho começado a ver várias daquelas listas de melhores séries de 2015 e absolutamente nenhuma delas citou Bojack, the Horseman. Não entendi o motivo, talvez ninguém tenha assistido ainda porque não é possível! Foi a melhor série que vi nesse ano todinho e agradeço imensamente ao meu amigo bruxo Rods que me indicou. Inclusive, pensar sobre isso me fez ter vontade de escrever um post especial sobre ela. Por enquanto, apenas procurem conhecer, por favor!

2. Nos últimos dois anos, a lista de filmes que assisti foi bem longa. Em compensação, quase não li nada (de literatura, né, porque pro mestrado, socorro). Esse ano foi o completo oposto. Proporcionalmente, li muito mais livros e vi muito mais séries do que filmes. Não sei bem a razão. Talvez a gente tenha altos e baixos com essas coisas, né? Vocês são assim também?

Comecei a fazer a lista dos melhores e piores de 2015 e, por causa disso, acho que ela vai ser bem diferente das duas últimas. Vocês costumam fazer essas seleções também? Me contem aí!

3. Agora, papo sério. A gente tem essa mania de reclamar da vida e achar que tudo tá perdido, né? Mas estão acontecendo coisas que me fizeram repensar essas reclamações.

A primeira é que eu estou fazendo um curso à distância de revisão e preparação de texto. Primeiro: nunca pensei que eu conseguiria estudar à distância, embora eu trabalhe pra um curso à distância. Ironias da vida. E está sendo ótimo estudar de novo e aprender coisas novas. Gosto muito dessa sensação. Inclusive, também não contei pra ninguém, mas fiz Enem esse ano e, quem sabe por um milagre divino, eu volte pra universidade. Veremos. Conto pra vocês se der certo (ou errado, que é o mais provável).

A segunda coisa é que, por causa desse vídeo, eu de repente descobri todo um mundo novo relacionado à encadernação manual de livros e cadernos e cia e resolvi aprender por conta própria. E ainda estou aprendendo e errando demais porque, olha, não é fácil. Quer dizer, não é que é difícil, mas é muito fácil errar um pontinho e aí não consigo lidar com uma falha ali naquele negócio e tenho que começar tudo de novo.

Uma pessoa um dia me contou que pra cada vez que ela ficava triste, ela fazia uma coisa x pra tirar a tristeza de dentro dela. E, então, por um tempo, resolvi fazer cadernos. Eram os caderninhos da tristeza. Só que agora também são cadernos da alegria e cadernos do tédio e cadernos de quero fazer cadernos. Resultado: estou com uma pequena pilha aqui. Como se eu já não tivesse um outra pilha de cadernos comprados. Tenho um vício sério.

Enfim, essa onda de aprender coisas novas veio pra ficar e, além disso, gosto muito de trabalhos manuais. Acho que encontrei um pra chamar de meu. Mentira, tem outro vindo por aí em 2016 que vai ser legal demais, mas ainda é segredo.

Portanto, 2015, trate logo de acabar!

IMG_2786

California dreamin’

DSCN5308

DSCN5309

PIC00012

Sabe aquela sua primeira câmera digital que você ganhou quando era adolescente tipo, no meu caso, há dez anos atrás? Então, de repente, se ela ainda tá por aí, sugiro colocar pra funcionar porque podem sair fotos bem legais, principalmente se ela estiver meio estragadinha. É triste, mas verdade. Quase anos 90 sem precisar de nenhuma edição!

Drapetomania

 photo cbb197d3717f074b4d59cc3e90d0d7fe_zpskoftwee3.jpg

Sabe aquele mês que mal começou e já tá na hora de terminar? Então, é esse.

Tem muitas coisas legais pra acontecer em outubro, não me entendam mal. Tem, inclusive, a estreia do nosso filme dia 31 no Festival Primeiro Plano que acontece aqui em JF, uhul!

Mas, ao mesmo, estou com um monte de ideias e planos novos, coisas inesperadas que foram aparecendo e que apontam pra caminhos legais. E aí qual é a vontade? Sair correndo, fugir de todos os trabalhos, apertar um botão e fazer outubro passar voando! Começar uma rotina nova de estudos, trabalhos e, claro, de blog.

Cruzando os dedinhos aqui pra tudo dar certo!

 

Mais um, mais um!

 photo the-shining-1_zpsqsrt03ir.jpg

Gente, vejam vocês, a vida tá tão louca, que o aniversário de 2 anos do blog passou e eu nem me dei conta! Jurava que era 6 de julho, mas era 6 de junho, hahaha! Vê se pode, que tipo de blogueira sou eu? Uma desnaturada!

Mas enfim, apesar do mega atraso e da impossibilidade de ter feito algo legal como fiz no ano passado, queria agradecer demais a todos vocês que acompanham esse meu espaço, que vem sempre aqui pra gente trocar ideias e experiências. Isso tudo fica guardadinho aqui no coração e fico muito feliz de ter conhecido tanta gente legal através do blog.

Um super obrigada sincero e um beijo no coração de todo mundo!